Pensar e fazer formação de professores numa perspectiva outra / Pensar y hacer formación de profesores en una perspectiva otra /

Juliana Aquino Machado, Juliana Cristina da Silva, Gilberto Ferreira da Silva

Resumen


Resumo

Neste texto propomo-nos a analisar algumas ações formativas desenvolvidas em uma rede municipal de ensino, localizada na região metropolitana de Porto Alegre, procurando auscultar conceitos que vêm emergindo destas ações a partir de uma perspectiva epistemológica outra de construção do conhecimento docente. Tal perspectiva epistemológica considera, especialmente, alguns princípios das pedagogias decoloniais propostos por Walsh (2009), que numa interpretação ao contexto explicitado, se refere a organizar e conduzir os processos formativos a partir de um “pensar desde” e de um “pensar com”. O “pensar desde” é caracterizado por uma ação implicada, como princípio epistemológico de construção de saberes, num movimento histórico-existencial, realizando na medida em que se leva em conta o ethos e o habitus dos nossos pertencimentos (Macedo 2006 e 2012). O “pensar com”, fundamenta-se em uma aposta pedagógica amparada na valorização do sujeito coletivo e individual como intelectual de sua prática docente, que se autoforma a partir da interação com os pares, num movimento pautado por princípios dialógicos, portanto não mais um sujeito moderno, mas um agente participativo, atuante e crítico de seu próprio processo formativo.

 

Resumen

En este texto nos proponemos a analizar algunas acciones formativas desarrolladas en una red municipal de enseñanza, ubicada en la región metropolitana de Porto Alegre, buscando auscultar conceptos que vienen emergiendo de estas acciones desde una perspectiva epistemológica otra de construcción del conocimiento docente. Dicha perspectiva epistemológica considera, especialmente, algunos principios de las pedagogías decoloniales propuestos por Walsh (2009) que, en una interpretación al contexto explicitado, se refiere a organizar y conducir los procesos formativos a partir de un “pensar desde” y de un “pensar con”. El “pensar desde” se caracteriza por una acción implicada, como principio epistemológico de construcción de saberes, en un movimiento histórico-existencial, realizando, al paso que se tiene en cuenta el ethos y el habitus de nuestras pertenencias (MACEDO 2006 y 2012). El “pensar con” se fundamenta en una apuesta pedagógica amparada en la valoración del sujeto colectivo e individual como intelectual de su práctica docente, que se autoforma desde la interacción con los pares, en un movimiento pautado por principios dialógicos, por tanto, no más un sujeto moderno, sino un agente participativo, actuante y crítico de su propio proceso formativo.

Palabras-clave: Formación; Autoformación; Docencia; Escuela; Decolonialidad.

 

Abstract

In this paper we propose to analyze some formative actions developed in a municipal school system, located in the metropolitan region of Porto Alegre, seeking to listen to concepts that have emerged from these actions from an epistemological perspective other than the construction of teaching knowledge. Such an epistemological perspective considers some principles of the decolonial pedagogies proposed by Walsh (2009), which in an interpretation to the explicit context, refers to organizing and conducting the formative processes from a "think from" and a "think with”. The “thinking from” is characterized by an action implied, as an epistemological principle of knowledge construction, in a historical-existential movement, considering the ethos and habitus of our belongings (Macedo 2006 and 2012). The "thinking with", is based on a pedagogical bet based on the valorization of the collective and individual subject as intellectual of their teaching practice, which forms itself from the interaction with peers, in a movement guided by dialogical principles, therefore no longer a modern subject, but a participative, active and critical agent of his own formative process.

Keywords: Formation; Self-training; Teaching; School; Decoloniality


Palabras clave


Formação; Autoformação; Docência; Escola; Decolonialidade; Formación; Autoformación; Docencia; Escuela; Decolonialidad; Formation; Self-training; Teaching; School; Decoloniality

Texto completo:

HTML (Português (Brasil))

Referencias


Arévalo, Ana e Nuñez, Maurício. 2016. Buscando compreender la dimensión de lo colaborativo. Los professores hablan. Docencia, 60, 55-65. Acesso em 19 de maio de 2019. https://www.docentemas.cl/portafolio/wp-content/uploads/2018/05/Buscando-comprender-la-dimensi%C3%B3n-de-lo-colaborativo.pdf

Ávalos, Beatrice. 2000. El desarrollo professional de los docentes. Proyectando desde el presente al futuro. Seminario sobre Prospectivas de la Educación en América Latina y el Caribe, Chile, 23 al 25 de agosto de 2000. UNESCO, ED-01/ PROMEDLAC VII /Documento de Apoyo. Acesso em 22 de agosto de 2019. http://www.schwartzman.org.br/simon/delphi/pdf/avalos.pdf

Ávalos, Beatrice. 2007. El desarrollo profesional continuo de los docentes: Lo que nos dice la experiência internacional y de la región latino-americana. Revista Pensamiento Educativo, Vol. 41, Nº 2, pp. 77-99. Acesso em 20 de maio de 2019. http://pensamientoeducativo.uc.cl/files/journals/2/articles/417/public/417-934-1-PB.pdf

Brasil. 2017. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília: MEC. Acesso em 20 de maio de 2019. http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_20dez_site.pdf

Canário, Rui. 2009. A escola tem futuro?. Artmed Editora.

Canoas. 2019. Referencial Curricular de Canoas (RCC). Canoas: Secretaria Municipal da Educação. Acesso em 20 de maio de 2019. https://pt.calameo.com/read/0046933424a30911ee09c?page=1

Cunha, Renata Cristina Oliveira Barrichelo; Prado, Guilherme do Val Toledo. 2012. Formação centrada na escola, desenvolvimento pessoal e profissional de professores. Revista de Educação PUC-Campinas, n. 28, p. 101-11. Acesso em 19 de maio de 2019. http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/reveducacao/article/view/79

Fernandes, Carla Helena; Prado, Guilherme Do Val Toledo. 2008. A Narrativa na formação de professoras e de pesquisadores da/na escola: diários de viagem. Educação UNISINOS, 12(1):16-27, janeiro/abril. Acesso em 19 de maio de 2019. http://revistas.unisinos.br/index.php/educacao/article/view/5292

Gatti, Bernardete Angelina. 2017. Formação de professores, complexidade e trabalho docente. Revista Diálogo Educacional, v. 17, n. 53, p. 721-37. Acesso em 19 de maio de 2019. https://www.redalyc.org/pdf/1891/189154956002.pdf

Gatti, Bernardete Angelina; Barreto, Elba Siqueira de Sá; André, Marli Eliza Dalmazo Afonso de; Almeida, Patrícia Cristina Albieri de. 2019. Professores do Brasil: novos cenários de formação. – Brasília: UNESCO. Acesso em 20 de maio de 2019. http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/about-this-office/single-view/news/professores_do_brasil_novos_cenarios_de_formacao/

Isaia, Silvia Maria de Aguiar; Bolzan, Doris Pires Vargas. 2008. Compreendendo os movimentos construtivos da docência superior: construções sobre pedagogia universitária. Linhas críticas, v. 14, n. 26, p. 25-42. Acesso em 22 de agosto de 2019. http://periodicos.unb.br/index.php/linhascriticas/article/view/3424

Macedo, Roberto Sidnei. 2006. Etnopesquisa crítica, etnopesquisa-formação. Brasília: Liber Livro Editora.

Macedo, Roberto Sidnei. 2009. Outras luzes: Um rigor intercrítico para uma etnopesquisa política. In: Macedo, Roberto Sidnei; Galeffi, Dante; Pimentel, Álamo. Um rigor outro sobre a qualidade na pesquisa qualitativa: educação e ciências humanas. EDUFBA.

Macedo, Roberto Sidnei. 2010. Compreender/mediar a formação: o fundante da educação. Brasília: LiberLivro.

Macedo, Roberto Sidnei. 2012. A Etnopesquisa implicada: Pertencimento, criação de saberes e afirmação. Brasília: Liber Livro Editora.

Machado, Juliana Aquino. 2013. A escola como espaço de formação continuada de professores: um estudo no contexto da Rede Municipal de Ensino de CANOAS-RS. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Educação/ Universidade La Salle. Acesso em 19 de maio de 2019. http://repositorio.unilasalle.edu.br/handle/11690/607

Machado, Juliana Aquino; Ledur, Rejane Reckziegel; Silva, Gilberto Ferreira da (orgs.). 2018. Saberes em Diálogo: educação básica, universidade e pesquisa. Canoas, Editora Unilasalle. Acesso em 19 de maio de 2019. http://www.canoas.rs.gov.br/wp-content/uploads/2018/07/AF-Saberes-em-dialogos.pdf

Muñoz, Fernando Murillo; Cuevas, Héctor Gómez. 2014. Decolonialidad Epistémica: las prácticas del saber y la subjetividad docente desde otros territorios. In: CUEVAS, Héctor Reinaldo Gómez; MUÑOZ, Fernando Murillo. Formación docente: demandas desde la frontera. Ediciones UCSH. Acesso em 22 de agosto de 2019. https://www.academia.edu/10253132/Decolonialidad_Epist%C3%A9mica_las_pr%C3%A1cticas_del_saber_y_la_subjetividad_docente_desde_otros_territorios_-_En_Formaci%C3%B3n_docente_demandas_desde_la_frontera_-_G%C3%B3mez_and_Murillo_2015_

Nóvoa, António. 2009. Imagens do futuro presente. Lisboa: Educa.

Nóvoa, António. 2017. Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente. Cadernos de Pesquisa, v. 47, n. 166, p. 1106-33. Acesso em 19 de maio de 2019. https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=6211666

Prado, Guilherme do Val Toledo; Proença, Heloisa Helena Dias Martins. 2018.Práticas de formação profissional na escola: desafios na atuação da coordenadora pedagógica em parceria com os professores. Educação Unisinos, v. 22, n. 2, p. 175-84. Acesso em 19 de maio de 2019. http://revistas.unisinos.br/index.php/educacao/article/view/edu.2018.222.07

Silva, Gilberto Ferreira da; Machado, Juliana Aquino. 2018. Saberes em diálogo: a construção de um programa de formação docente em uma rede municipal de ensino. Revista Iberoamericana de Educación / Revista Ibero-americana de Educação. Vol. 77, núm. 2. pp. 95-114. Acesso em 17 de maio de 2019. https://rieoei.org/RIE/article/view/3161/3978

Silva Júnior, Celestino Alves da. 2015. Apresentação. In: Silva Júnior, Celestino Alves da; Gatti, Bernadete Angelina; Mizukami, Maria da Graça Nicoletti; Pagotto, Maria Dalva Silva; Spazziani, Maria de Lourdes (Orgs). Por uma revolução no campo da formação de professores. 1. ed. São Paulo: Editora Unesp.

Tardif, Maurice. 2002. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes.

Vaillant, Denise. 2014. Análisis y reflexiones para pensar el desarrollo professional docente contínuo. Revista Educar, nº Especial 30 aniversário, 55-66. Acesso em 20 de maio de 2019. https://educar.uab.cat/article/view/v50-esp-vaillant

Vaillant. Denise. 2015. Para uma mudança radical na formação inicial de professores. In: Silva Júnior, Celestino Alves da; Gatti, Bernadete Angelina; Mizukami, Maria da Graça Nicoletti; Pagotto, Maria Dalva Silva; Spazziani, Maria de Lourdes (Orgs). Por uma revolução no campo da formação de professores. 1. ed. São Paulo: Editora Unesp.

Vaillant, Denise. 2019. Directivos y comunidades de aprendizaje docente: un campo en construcción (Directors and teacher learning communities: a field under construction). fgh, v. 13, n. 1, p. 87-106. Acesso em 19 de maio de 2019. http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/3073

Walsh, Catherine. 2009. Interculturalidad crítica y pedagogía de-colonial: apuestas (des) de el in-surgir, re-existir y re-vivir. UMSA Revista (entre palabras), v. 3. Acesso em 22 de agosto de 2019. https://redinterculturalidad.wordpress.com/2014/02/06/interculturalidad-critica-y-pedagogia-decolonial-catherine-walsh/

Xavier, Rosineide Barbosa e SzymanskI, Heloisa. 2015. Compreensão do diálogo em um processo de construção coletiva do projeto político-pedagógico. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos (online). Brasília, volume 96, nº242, p. 61-78, jan-abr. Acesso em 22 de agosto de 2019. http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S2176-66812015000100061&script=sci_abstract&tlng=pt


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.
   


  • Revista nuestrAmérica

  • Trazos de nuestrAmérica

  • Cuadernos de descolonización y liberación

  • Blog nuestrAmérica

  • Sello editorial Ediciones nuestrAmérica desde Abajo

  • Directorio de revistas Deycrit-Sur

¿Cómo publicar?


Directrices y normas de publicación

 

Manifiesto Deycrit-Sur sobre la descolonización del conocimiento

Síguenos en redes sociales

       

Editado desde la ciudad de Concepción, Chile. Todas las publicaciones y trabajos de Ediciones nuestrAmérica desde Abajo se realizan bajo licencia Creative Commons Reconocimiento-No Comercial-Compartir Igual-Internacional. Ninguno de nuestras revistas realiza cobros por procesamiento de artículos, publicación o lectura (No APC).